Google+ Followers

quinta-feira, 7 de março de 2013

Salve 08 de março Dia Internacional da Mulher.



Dia Internacional da Mulher? Como assim?Acho que as mulheres andam tão estressadas que muitos homens desistem da idéia de casar, ou de se relacionar e para ilustrar esse ritmo frenético que estamos vivendo, pergunto: alguém lembra de ter tido uma avó agitada? Vamos por partes. De fato, ninguém teve uma avó agitada, era outra época e elas se instalavam muito confortavelmente no papel de guardiãs da família. Talvez fossem mulheres plenamente realizadas ou diabolicamente frustradas, quem vai saber? Mas agitadas, não eram mesmo, o que pode ser uma benção ou uma condenação. A pergunta que faço: alguma mulher hoje gostaria de reproduzir a vida que sua avó teve?Algum homem gostaria de se casar com a avó? No entanto, concordo que as mulheres andam estressadas demais, ainda que eu não acredite nessa história de que os homens estão desistindo de casar: todos nós, homens e mulheres, sonhamos em ter uma relação estável e legal. Mas para isso acontecer, não pode haver competitividade, e talvez seja essa a razão do nosso stress: estamos competindo bobamente com os homens, infantilmente com nossas avós e estupidamente com nós mesmas e com outras mulheres (isso é que é pior). Ainda desejamos provar para o mundo que yes, we can.Claro que as mulheres podem tudo, está sacramentado. Mas será que devemos querer tudo? Onde foi parar nosso critério de seleção? Já não sabemos distinguir o que é prioridade e o que pode ficar em segundo plano: tudo virou prioridade. E só uma mulher supersônica consegue ter eficiência absoluta em todos os quesitos: melhor mãe, melhor amiga, melhor filha, melhor namorada, melhor esposa, melhor profissional, melhor dona-de-casa e melhor borda. É morte por exaustão na certa. Esquecer daquelas que perdeu 30 quilos em duas semanas, que aprenderam a ganhar dinheiro sem sair de casa, que visitaram 46 países nos últimos 10 anos, que sobreviveram a tragédias, que são executivas completas, que possuem duas centenas de sapatos, que preparam um risoto de funghi em 10 minutos, que têm disposição para rolar no chão com os filhos, que aparentam ter 15 anos menos, que exibem uma barriga de tanquinho um mês depois de ter filhos, que lembram trechos inteiros dos clássicos que leram na época da faculdade, que arranjam tempo pra fazer pilates, ioga, musculação e drenagem linfática. Dá orgulho, eu sei, mas é uma competência e uma autopromoção que beira o irreal. Estou com saudades de ler e ouvir sobre as adoráveis qualidades das mulheres. Devemos voltar a sermos valorizados pela meiguice, doçura, companheirismo e milhões de itens que não preciso escrever. Desejo, de verdade... Que possamos ser valorizadas não pela quantidade de silicones que possuímos. A Mulher ideal é aquela que é maravilhosa acima de tudo. Que pode com um sorriso provocar amor e felicidade. A Mulher ideal é aquela que é simples por natureza. Que pode explanar com simples gestos toda a sua feminilidade e grandeza. A Mulher ideal é aquela que sabe como ninguém entender os sinais do amado antevendo lhe os movimentos estando sempre ao seu lado. A Mulher ideal é aquela que não seja perfeita, pois somente Deus o é, mas que busque a perfeição em todos os seus gestos. A Mulher ideal é aquela que mostra a sua beleza todos os dias, como no primeiro encontro. Fazendo dos momentos com o seu amado um eterno reencontro. A Mulher ideal é aquela que mesmo com o passar dos anos, tenha sempre o sorriso de menina, pois o enrugar da pele é ínfimo perante a alma feminina. A Mulher ideal é aquela que se apresenta perante a sociedade como a mais formosa dama. Mas quando na intimidade partilhe todos os segredos... Enfim, a Mulher ideal é aquela que mesmo não sendo Deusa, sabe como ninguém trazer um pedacinho do céu.... Minha homenagem a todas as mães, amigas ,namoradas, filhas.....enfim, MULHERES.  Texto da amiga
BETSABÁ C



Um abraço: Manoel Limoeiro de Roda de Fogo. Recife – PE. CEl. 81-84088231 ou 81-94608639 e 81-81898506 ou Tim 81-97757386

Recife, 07 de março de 2013


 
Postar um comentário